Exercícios físicos e Cirurgia Plástica.

4 janeiro, 2020


A Cirurgia Plástica, sozinha, não realiza transformações milagrosas. Ela é um dos pilares do bem-estar que engloba outras atitudes, como atividade física, dieta equilibrada e hábitos saudáveis. Quando um destes fatores não é obedecido, a tendência é que o paciente volte a engordar e a se sentir insatisfeito ou mesmo apresentar adversidades nos resultados.

Após a cirurgia, as atividades físicas ajudam a tonificar a musculatura, o que otimiza os efeitos sobre a região operada. Mas não é qualquer tipo de exercício, é preciso avaliar caso a caso.


Resultado de imagem para corrida


Estar em uma boa forma física antes e após uma Cirurgia Plástica são fatores que contribuem com resultados mais satisfatórios do procedimento. Um excelente exemplo é a associação de exercícios abdominais antes e após uma cirurgia de Abdominoplastia, uma vez que os músculos desta região se fortalecem, complementando o resultado cirúrgico e elevando o grau de satisfação do paciente.

Exercícios físicos são fundamentais em cirurgias do contorno corporal, como a lipoescultura lipoaspiração, abdominoplastia, mamoplastia, etc. Além da tonificação muscular, os exercícios físicos também previnem o aparecimento da flacidez cutânea e estrias, pois melhoram a circulação sangüínea da pele, o que proporciona maior elasticidade.

É muito importante não negligenciar o pós-operatório. É preciso respeitar o tempo de repouso estipulado para cada tipo de cirurgia e que o paciente não retome os exercícios por conta própria, é essencial o acompanhamento de especialistas ligados à Medicina Esportiva, Cardiologia, Nutrologia e Nutrição Esportiva.


texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 




 

Implante de Silicone - Mamoplastia de aumento

4 janeiro, 2020


Você já sonhou em colocar silicone? A cirurgia para aumentar as mamas, também conhecida como mamoplastia de aumento ou “inclusão de silicone”, é, basicamente, indicada para:

– Aumentar o volume e projeção das mamas. Pode ser associada a um levantamento das mesmas (mastopexia);

– Equalizar o volume entre as mamas direita e esquerda (seja após grandes perdas de peso, gravidez, amamentação ou para mamas que naturalmente possuem volumes diferentes).

Imagem relacionada

A mamoplastia de aumento também está indicada para os casos de reconstrução mamária após cirurgias mamárias oncológicas (casos de câncer de mama).

Em todas as indicações, a melhora da autoestima e autoconfiança são os objetivos do procedimento.

O que é o silicone?

O implante de silicone é um dispositivo criado à partir de um polímero de silicone, feito pelo homem, composto de cadeias de carbono, silício e oxigênio. Com a tecnologia atual, estes não possuem uma “data de validade para serem retirados”, mas necessitam de um acompanhamento com o cirurgião para monitorar seus aspectos com o passar dos anos.

Existem várias marcas no mercado, com diferentes padrões de tamanho, textura e composição. O médico optará pela marca que tem maior confiança e, de preferência, que obedece a normas de segurança e padrões de qualidade nacional e internacionalmente.

silicone_-2

Quem pode ser submetida a esta cirurgia?

A cirurgia é um procedimento individualizado. Não se deve levar em conta casos de outras pacientes conhecidas, volumes de implantes, tipo físico etc. Cada paciente é única e terá sua indicação cirúrgica com exclusividade, devendo o médico obedecer a seus padrões próprios de beleza e não a um modismo ou padrão estético imposto pela sociedade.Fatores como alergias, algumas doenças ou hábitos podem contraindicar o procedimento.

 

Indicação cirúrgica

As consultas no pré-operatório são de extrema importância. Nelas, o cirurgião fará uma história clínica e exame físicos minuciosos além de solicitar exames complementares pertinentes. Tudo isso com a finalidade de propor a cada paciente uma cirurgia com menores riscos e que apresente, ao seu final, resultados satisfatórios.

A cirurgia

O procedimento, que dura entre 1 a 3 horas, deverá ser realizado em ambiente hospitalar e com anestesia apropriada (que deverá ser discutida com o anestesista visando um maior conforto e segurança durante o ato operatório).

O implante de silicone poderá ser alojado em 3 posições:

* Acima do músculo peitoral

* Abaixo do músculo peitoral

* Um plano híbrido ou duplo, na qual o implante fica parcialmente abaixo do músculo

O local por onde será colocado o dispositivo poderá ser:


cortessilicone

* No sulco inferior da mama

* Na linha axilar

* Ao redor da aréola

Tanto o plano quanto o local de inclusão do implante deverá ser apresentado pelo cirurgião, baseado nas vantagens da conduta escolhida e em sua experiência.

 

Dúvidas frequentes:

Amamentação

A inclusão de silicone nas mamas não é um fator que inviabilize o aleitamento materno, independente de seu plano de colocação, ou seja, abaixo ou acima do músculo peitoral. O que poderá ocorrer é uma diminuição da sensibilidade nos mamilos quando a opção de colocação de implante se dá por acesso peri-areolar.

Câncer de mama

Não há, até o momento, nenhuma assertiva científica que correlacione o silicone como causa de neoplasias de mama.

Não se esqueça!

* Sempre retire suas dúvidas com seu cirurgião;

* Solicite orientações quanto ao hospital em que será feita a cirurgia e quem é a equipe médica;

* Pergunte sobre a marca de implante utilizada e quais são as garantias da mesma;

* Sempre duvide de valores muito abaixo do mercado: quase sempre, o barato sai caro. Não subjugue sua integridade física e sua saúde e

* Não adote como verdade fatos e fotos disponíveis na Internet. Nem tudo que está na web é confiável.


texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 

#protesedemama #silicone #mamoplastiadeaumento #mastopexiacomprotese #protesedesilicone #implantedesilicone

 

Rejuvenescimento Facial

4 janeiro, 2020


O objetivo da cirurgia de Rejuvenescimento de Face é amenizar os sinais do envelhecimento do rosto e pescoço, e não devolver o mesmo aspecto facial dos anos de sua juventude, como acreditam algumas pessoas. Porém, pode-se atenuar as marcas da maturidade, conferindo um aspecto mais agradável e mais descansado ao seu rosto.

É  muito importante ter uma clara compreensão das possibilidades e limitações do resultado desta cirurgia, uma vez que não é possível prever, com exatidão, o aspecto final do procedimento. Cada paciente é único e possui suas particularidades, como idade, tipo de pele, etnia, hábitos pessoais etc., que podem interferir no resultado.


Resultado de imagem para rejuvenescimento facial


Algumas rugas e sinais de flacidez permanecerão e necessitarão de outros tratamentos opcionais complementares. O mais importante é ter um resultado que equilibra a satisfação do paciente e naturalidade do procedimento.

Para a complementação do seu rejuvenescimento, talvez sejam necessários outros tratamentos complementares:

- Peeling: aplicação de substâncias químicas para a renovação da camada superficial da pele, diminuindo a profundidade das rugas que permanecem após a cirurgia.

- Toxina botulínica: para diminuir as marcas musculares que aparecem pribotoxncipalmente na testa,durante o sorriso e nos“pés de galinha”. Sua ação atenua as marcas de expressão e protege a pele de novas marcas, pois reduz a contração muscular.

- Preenchimento: visa a dar volume em áreas específicas após um tratamento de rejuvenescimento.

- Bioestimuladores: substâncias que visam a estimular o colágeno. Podem ter apresentação em forma de fios ou injetáveis.

- Fios de sustentação: aplicação de fios com pequenas "garrinhas" que exercem função de levantamento da porção desejada, como fronte, face e pescoço.


texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 

#rejuvenescimentodeface #rejuvenescimentofacial #botox #toxina #toxinabotulinica #preenchimento #harmonizacaofacial #preenchedores #fiosdesustentacao


 

Rinoplastia

4 janeiro, 2020


A rinoplastia é a cirurgia plástica indicada para correção estética do nariz, porém sem causar alterações deletérias funcionais.  Aumentar ou diminuir o nariz, projetar a ponta, afilar as asas nasais e até diminuir a giba óssea (dorso nasal).

A prática da rinoplastia é bastante antiga e é descrita desde o antigo Egito. Com o passar dos anos, inúmeras técnicas foram criadas e aperfeiçoadas, sendo cada uma indicada de maneira individualizada a cada paciente.

Por vezes, a rinoplastia é associada a outros procedimentos nasais, como a correção do septo nasal e a turbinectomia, que é a retirada de parte dos cornetos nasais (a popular “carne esponjosa”). A rinoplastia pode ser indicada, na maioria das vezes, a partir dos 18 anos de idade, idade em que o desenvolvimento do facial do paciente já está concluído.


Resultado de imagem para rinoplastia

Existem duas técnicas usadas para a rinoplastia: a aberta (exorrinoplastias) ou fechada (endorrinoplastia). Na técnica aberta, é feita uma pequena incisão na base do nariz, entre as narinas, e na parte interna de cada narina. Na técnica fechada, há incisões apenas dentro das narinas. Ambas realizadas sob anestesia geral e com período de internação entre 12 e 24 horas. Há profissionais que têm uma maior habilidade com uma determinada técnica, mas que esta pode ser ajustada ou modificada dependendo de cada paciente: o profissional possui um grande arsenal de opções para que uma delas se adeque a cada caso clínico. 

Apesar da maioria dos pedidos referirem-se à diminuição e remodelamento, há casos em que pode ser feito o aumento nasal, através do enxerto de cartilagem, implante de próteses ou preenchimento no local. Para a diminuição do tamanho do nariz, são retiradas partes da cartilagem e/ou é realizada a raspagem e o lixamento do osso. A fratura do osso nasal é realizada apenas em casos específicos, avaliada anteriormente durante o exame físico, no intuito de diminuir, o "ossinho" do nariz, e ainda a base alargada. Nesses casos, respectivamente, a fratura é feita para compensar a raspagem óssea. Quem sofreu alguma fratura prévia, que deixou o nariz torto, também pode precisar da fratura nasal para reposicioná-lo.

texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 

#rinoplastia #nariz #rino



 

Lesões cutâneas

4 janeiro, 2020


O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer. 


Dentre os diversos tipos de tumores benignos, destacam-se: nevos, siringomas, quelóides, lipomas, cistos, leiomiomas, neuromas, hemangiomas, entre outros. Já entre as lesões malignas, os tumores mais comuns são: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma epidermóide ou espinocelular (CEC) e melanoma. O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são muito altos.


O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele, mas é importante estar sempre atento aos seguintes sintomas:


- lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;

- pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;

- mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.


cancer_evolucao



Regra do ABCDE para diagnosticar prováveis lesões malignas:

A - Assimetria

Assimétrico: maligno

Simétrico: benigno


B - Borda

Borda irregular: maligno

Borda regular: benigno


C - Cor

Dois tons ou mais: maligno

Tom único: benigno


D - Dimensão

Superior a 6 mm: provavelmente maligno

Inferior a 6 mm: provavelmente benigno


E - Evolução

Cresce e muda de cor: provavelmente maligno

Não cresce nem muda de cor: provavelmente benigno


A cirurgia para o tratamento de lesões de pele benignas ou malignas consiste em sua remoção, respeitando as características da patologia em questão e buscando o melhor resultado estético-funcional possível.

 

Diferente dos tratamentos clínicos (medicamentos, laser, etc.), que podem estar indicados para alguns casos selecionados de lesões, todo tratamento cirúrgico envolve corte(s) na pele e/ou mucosa(s) e, por consequência, cicatriz(es). Não existe cirurgia sem cicatrizes! O que existe é a cirurgia bem planejada, com cicatrizes finais bem posicionadas, camufladas quando possível em relevos naturais da pele, atingindo resultados pouco perceptíveis.

 

De maneira corriqueira, as lesões retiradas são enviadas para o exame de anátomo-patológico, para que seja possível um diagnóstico a nível histológico e que irá, posteriormente, orientar o tipo de seguimento e tratamento. Em alguns casos, o exame patológico poderá ser realizado no mesmo ambiente que a cirurgia, a chamada biópsia de congelação ou anatomia patológica intraoperatória. Esta opção traz um diagnóstico preciso e logo ao final da cirurgia: o paciente saberá imediatamente de sua cura sem precisar aguardar o laudo patológico, que demora de 7 a 21 dias.

 

O procedimento deverá ser realizado em ambiente autorizado pelos órgãos competentes, confortável para paciente e equipe médica, podendo variar de estrutura conforme o grau de complexidade da cirurgia planejada. 



texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 

#tumordepele #cancerdepele #neoplasiadepele

 

 

Ginecomastia: o que é e seu tratamento.

4 janeiro, 2020


Ginecomastia é o desenvolvimento anormal de mamas em homens. (Do grego gyne = feminino, mastia = mamas, ou seja mamas femininas). No mundo, cerca de 40% dos homens apresentam esta condição clínica, que aparece inicialmente com um nódulo endurecido abaixo da aréola de pequeno tamanho (de 0,5 cm a 2 cm) e com crescimento gradual. Nesta fase, a dor costuma incomodar bastante, causando muito desconforto ao simples toque ou até mesmo ao se vestir com uma camiseta.

Este aumento do volume mamário pode ser de componente glandular (glândula mamária), adiposo (gordura) ou uma combinação destes dois fatores. Quando há apenas o componente adiposo é chamada de lipomastia ou pseudoginecomastia.


Homem sem camisa com tecido mamário inchado. Close comparando tecido mamário normal com tecido mamário inchado causado por desequilíbrio hormonal.


A ginecomastia pode aparecer, principalmente, em três fases da vida: infância (quando os hormônios femininos da placenta materna ainda circulam pelo corpo do indivíduo), adolescência (quando há uma grande modificação hormonal na puberdade) e após os 55 anos (quando as taxas de hormônios masculinos estão em declínio). Portanto, é causada, basicamente, por um desequilíbrio hormonal no organismo masculino. Suas origens podem ser divididas em fisiológicas (ou seja, alterações do próprio organismo), patológicas (tumores em órgãos que produzem hormônios, uso de substâncias medicamentosas ou ilícitas, hormônios ou anabolizantes, tabaco etc) ou idiopáticas (desconhecidas). 

Seu tratamento é realizado através da lipoaspiração, quando há apenas o aumento da gordura mamária; cirurgia de remoção da glândula, quando há aumento desta, ou de forma combinada, para os graus mais avançados.  

O procedimento é realizado em centro cirúrgico capacitado e habilitado para este tipo de cirurgia, sempre após de um diagnóstico preciso, exames laboratoriais sem alterações e após o paciente ter conhecimento de todo o processo. Desta forma, a equipe médica poderá buscar o êxito no tratamento e o paciente terá sua auto-estima e qualidade de vida visivelmente melhoradas. 

texto por @dr.fabionogueira

Agende sua consulta!


tópicos relacionados:

#cirurgiaplastica #plastica #plasticasegura #estetica #reparadora #cirurgiaplasticaestetica #cirurgiaplasticareparadora #sbcp #sociedadebrasileiradecirurgiapalstica #plastic #plasticsurgery 

#ginecomastia #cirurgiadasmamas #masculino #homem